terça-feira, 9 de agosto de 2016

Convidei-te para meu ninho de amor...Acabámos fazendo amor de verdade.


Convidei-te para  meu ninho de amor
Preparei carinhosamente o momento
Aceitaste o convite deste-me tua flor
Aquela, onde da volúpia, sentia calor 

Tentei levar-te ao delírio  num e só gesto
Sentiste o calor da minha líbio em acção
Redopia meu corpo sensível em protesto
Deixando escapar  detalhes da  excitação

Teus olhos olham os  meus e sorrimos
 Nossos  corpos  fervem  de  ansiedade
Entre pernas, sexos húmidos sentimos
E acabamos fazendo amor de verdade

5 comentários:

  1. Gostei do poema :)
    Principalmente a ultima quadra :)

    ResponderEliminar
  2. Poema encantador. Imagem fantástica! Muito bom.

    Gostava de receber a tua visita

    http://deliriosamoresexo.blogspot.pt/

    Bjos

    ResponderEliminar
  3. Quando li a primeira estrofe, pensei, "isto é da Filipa", amiga, lindo poema, o amor é lindo mesmo, "quando é de verdade e nos queima de ansiedade" tanto como a tua escrita! Beijos!!!

    ResponderEliminar
  4. É a cara da Filipa....ternura recheada com sentimento, com lirismo, com doçura, meiguice e carinho!!!!
    Sensacional!!!

    ResponderEliminar