terça-feira, 30 de agosto de 2016

Delírios de dois corpos sedentos.



Sentir que me queres
Aqui ou ali
No sofá ou na cama
Nua ou vestida
De sorriso no rosto
De pernas para ar
E sentir-te entrar...
Minha gruta inflama
E meu corpo estremece
Sentir que queremos 
Os dois, num só gemer,
Gozar o momento 
Desta nossa fonte
Que nos leva ao prazer,
Aqui ou ali
Em delírio sedento.

7 comentários:

  1. no olhar da posição perco meu norte..." e meu corpo estremece"
    Bravo Dalila

    ResponderEliminar
  2. Aiii, assim logo de manhã??
    Que violência tão boa! :P

    ResponderEliminar
  3. Nada como sentir o desejo do outro por nós; sensação indescritível!
    Para vc, um dia de luz, paz e amor.

    Beijos

    http://odiariodaescrava.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  4. Uiiiii...adoro....

    beijos e desejos

    ResponderEliminar
  5. Belo poema de amor... uma dádiva de amor!!!
    A imagem é belíssima.. adorei!!!

    ResponderEliminar