sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Uma fuga ao paraíso, orgasmos em duplicado.

Uma fuga, o nosso paraíso
Com  cama feita  no chão
E assim  se perde  o juízo
Sobre  enorme  excitação
 
Dançam os meus quadris
Em  cima do mastro  teu
Trabalhando como  o giz
Na minha gruta escreveu
 
Os dois tão entusiasmados
Num ritmo bem cavalgado
O nossos  sexos  molhados
E orgasmos em duplicado
---

7 comentários:

  1. Sempre demolidor escrita Dalila...não dás descanso :-)

    ResponderEliminar
  2. Poema excitante, maravilhoso

    Beijo

    ResponderEliminar
  3. Belo poema que condiz perfeitamente com a imagem :)

    ResponderEliminar
  4. Huummmm... Este poema me deixou com tesão muito gostosooooo !!!!

    ResponderEliminar
  5. Beleza de poema. O mastro um giz, ao escrever na caverna de teu sexo!
    Fantástica metáfora!!!!

    ResponderEliminar
  6. Los cuerpos danzan al ritmo del placer.

    Un beso.

    ResponderEliminar