quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Momentos luxuriosos e imaginários do sexo anal.

merry-christmas-2014-callie-calypso-stretching

O Natal passou, minha prenda não recebeste
Desejávamos tanto aqueles momentos a dois
Onde nos entregássemos com luxuria e depois
Deixávamos a libido falar, sei que entendeste

O Natal passou, desejamos-nos cada vez mais
Meu corpo queria entregar-te, só tu o aqueces
Queria ser completa na entrega, como mereces
Porque há momentos que as palavras são fatais

Depois de tudo, entregar-me-ia, para a explosão
Tuas palavras fervorosas, são bálsamo da mente
Imagino-te acarinhado o meu ânus, que te sente
Nas profundezas do meu corpo que arde de tesão

merry-christmas-2014-callie-calypso-stretching_001

13 comentários:

  1. Um poema cheio de tesão. As imagens para quem gosta, são otimas :)))

    Bom Ano
    Beijinhos melados :)))

    ResponderEliminar
  2. Não se goste mais das imagens se do poema!! :-) Muito bom!

    Bjos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece-me um elogio, Larissa, obrigada

      Bjocas

      Eliminar
  3. Muito curioso... mesmo... também tinha-mos previsto uma prendinha destas... para o natal...

    Infelizmente... não deu... maldito do pai natal...
    pode ser que para o ano novo... os reis magos tragam qq coisinha ;)

    Kiss ... Boas festas.

    www.nossoamorperfeito.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até aos Reis, recebe-se sempre :)

      Bjocas e obrigada

      Eliminar
  4. HUMMMMM Filipa imagens e texto..fiquei....TE(n)SO :)))))
    Beijos-TE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hummmmm ficaste tenso? Isso é bom! :)

      Obrigada
      Bjocas

      Eliminar
    2. Como não ficar...com essas tuas deliciosas formas...de instigares a minha libido :))))

      Eliminar
  5. Excelente... Bom ano de 2017

    ResponderEliminar
  6. Erradinha Básica

    Dos prazeres que tu me dás,
    eu idolatro quando erro,
    em tuas delícias, e
    de propósito, adentro sorrateiro
    no proibido e saboroso prêmio
    que saciada e faminta
    me ofertas.
    Sem dizer uma única palavra.

    Abs. do (In)

    ResponderEliminar